Viagem Literária

Apenas uma maneira de despejar em algum lugar todas aquelas palavras que teimam em continuar saindo de mim diariamente.

Name:
Location: Porto Alegre, RS, Brazil

Um gaúcho pacato, bem-humorado e que curte escrever algumas bobagens e algumas coisas sérias de vez em quando. Devorador voraz de livros e cinéfilo assumido. O resto não interessa, ao menos por enquanto.

Thursday, January 08, 2009

Melhores e Piores do Cinema em 2008


Então, pessoas, vamos lá. Depois de dois anos seguidos fazendo só uma lista rápida daqueles que considerei os melhores filmes do ano, dessa vez consegui montar um balanço mais elaborado e completo sobre o que passou nos cinemas brasileiros em 2008. Lembrando, claro, que não sou uma máquina e assistir filmes não é a única coisa que faço na vida, portanto, não consegui assistir diversos filmes lançados aqui. Então, como consequência (sem trema), o que coloco aqui abaixo é uma análise de tudo o que consegui ver que foi lançado nos cinemas brasileiros em 2008.

Antes de entrar nas listas, um comentário rápido: na minha opinião, esse foi o melhor ano do cinema em um bom tempo, com no mínimo cinco filmes que podem ser considerados obras-primas.

Divirtam-se e comentem abaixo.

--------------

Top 10 – Os melhores filmes lançados nos cinemas do Brasil

10) O Caçador de Pipas (The Kite Runner) – EUA, 2007
O diretor Marc Forster realizou uma fiel e bonita adaptação do grande sucesso de Khaled Hosseini. O filme, sem grandes ousadias, adota uma narrativa clássica e se sustenta pela força da história e dos personagens. De forma madura, a obra trata sobre sentimentos como culpa e amizade, contando com ótimas atuações e um olhar respeitoso e bem-vindo sobre os problemas do Oriente.

9) [REC] – Espanha, 2007
Esta produção espanhola, que segue a técnica empregada em A Bruxa de Blair, apresenta atuações naturais e uma tensão muito bem construída pelos diretores Jaume Balagueró e Paco Plaza. Os cineastas deixam muito do medo a cargo da imaginação da platéia e realmente surpreendem nos sustos. Os quinze minutos finais são simplesmente aterrorizantes. Um prato cheio para os fãs do terror bem realizado.

8) Apenas uma Vez (Once) – Irlanda, 2006
Delicado e sensível, Apenas Uma Vez captura de forma mágica a aproximação entre um músico irlandês e uma imigrante tcheca através da música, realmente trazendo o espectador para o coração dos personagens. Além disso, a trilha é marcante e o roteiro evita os clichês. O resultado é uma declaração sobre o poder da música e sobre as dificuldades do amor.

7) Desejo e Reparação (Atonement) – Inglaterra/França, 2007
A princípio um simples filme de época, Desejo e Reparação, pouco a pouco, vai se revelando uma obra extremamente ousada. O diretor Joe Wright foge do comum ao brincar com a própria linguagem do cinema de maneira magistral, ao mesmo tempo em que demonstra grande domínio técnico. As interpretações são ótimas e o roteiro, baseado em uma obra literária, mexe de forma inteligente com as percepções da platéia.

6) Na Natureza Selvagem (Into the Wild) – EUA, 2007
O grande apelo de Na Natureza Selvagem é o fato do personagem principal partir em busca de um sonho com o qual todos podemos nos identificar. Alicerçado em uma atuação talentosa de Emile Hirsch, o diretor e roteirista Sean Penn constrói um belo filme, repleto de grandes imagens e personagens bem desenvolvidos, mesmo aqueles com pouco tempo em tela. Uma obra riquíssima e inspiradora.

5) O Orfanato (El Orfanato) – Espanha/México, 2007
Essa produção de Guillermo del Toro é um exemplo de como realizar um filme de terror. O diretor Juan Antonio Bayona e o roteirista de Sergio Sanchez acertam ao desenvolver os personagens, construindo a relação entre estes e a platéia. Assim, as cenas mais tensas – dirigidas de forma impecável por Bayona – realmente geram nervosismo no espectador. De quebra, O Orfanato tem um final belíssimo e perfeito à história.

4) Onde os Fracos Não têm Vez (No Country For Old Men) – EUA, 2007
O filme que consagrou de vez os irmãos Coen é uma obra densa, que exige a interpretação do espectador para ser completamente apreciada. As atuações são perfeitas (destaque para o psicótico Javier Bardem) e a direção é segura, mas são as sutilezas do roteiro na reflexão sobre o mal que fazem de Onde os Fracos Não Têm Vez um grande filme, digno de todas as premiações que recebeu.

3) WALL-E – EUA, 2008
Novamente, uma animação da Pixar figura na lista dos melhores do ano. Wall-E é engraçado, tocante e mágico, com algumas cenas que capturam o que existe de melhor no cinema. Boa parte do filme é sem diálogos, uma ousadia do diretor Andrew Stanton. A relação entre o carismático protagonista e sua namorada é sensível e o roteiro ainda realiza críticas bem pontuadas sobre nossa sociedade. Impossível não se emocionar.

2) Batman - O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight) - EUA, 2008
A nova aventura do homem-morcego supera a definição de filme de super-herói para se tornar uma grandiosa saga sobre o crime aos moldes de Fogo Contra Fogo. Sombrio e reflexivo sobre a natureza do ser humano, Batman – O Cavaleiro das Trevas apresenta um enredo ambicioso e personagens bem construídos, como o protagonista atormentado e o fascinante Coringa, interpretado com maestria por Heath Ledger.

1) Sangue Negro (There Will Be Blood) - EUA, 2007
Contando com uma atuação primorosa de Daniel Day-Lewis, Sangue Negro é mais uma obra-prima de Paul Thomas Anderson. Tecnicamente impecável e narrativamente corajoso, o filme é profundo, ousado e ambicioso ao contar a história de um homem rumo à sua própria perdição. Mais do que um filme impecável, Sangue Negro é a história do Cinema sendo feita diante de nossos olhos.

--------------

Menções Honrosas – Filmes que quase entraram na lista dos melhores

O Gângster (American Gangster) – EUA, 2007
Trovão Tropical (Tropic Thunder) – EUA, 2008
Hellboy II - O Exército Dourado (Hellboy II – The Golden Army) – EUA, 2008
Ensaio sobre a Cegueira (Blindness) – Brasil/Canadá/Japão, 2008
Juno – EUA, 2007
Marley e Eu (Marley & Me) – EUA, 2008
Speed Racer – EUA, 2008
Senhores do Crime (Eastern Promises) – Canadá/EUA/Inglaterra, 2007


--------------

Bottom 10 – Os piores filmes lançados nos cinemas do Brasil

10) A Múmia: Tumba do Imperador Dragão (The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor) – Alemanha/Canadá/EUA, 2008
Seqüência totalmente desnecessária para a série de sucesso, que não chega nem aos pés do divertido filme original. Aqui, todas as piadas e situações soam forçadas e sem graça, enquanto Maria Bello não consegue preencher o lugar deixado por Rachel Weisz. Além disso, Rob Cohen não constrói uma única cena empolgante, usando e abusando de efeitos especiais nem sempre convincentes.

9) Star Wars: The Clone Wars – EUA, 2008
Pouco se esperava desse filme, mas ainda assim é uma decepção. Em primeiro lugar, Star Wars: The Clone Wars nada acrescenta à série, sendo totalmente dispensável. Em seguida, o roteiro não ambiciona algo mais além de funcionar como mera desculpa para cenas de batalha. O problema é que estes momentos também são fracos, prejudicados ainda pela animação sem recursos. Nem os fãs gostaram, o que já é um terrível sinal.

8) 10.000 a.C. – EUA, 2008
Se antes Roland Emmerich ainda conseguia fazer filmes idiotas, mas divertidos, agora eles ficam só na primeira definição. Sua mais nova atrocidade é esse absurdo fantasiado de épico, que apresenta personagens sem qualquer apelo e uma história que nem ao menos busca alcançar qualquer lógica. Um batalhão de efeitos especiais tenta mascarar o conteúdo vazio, mas 10.000 a.C. nada mais é do que um filme a ser esquecido.

7) As Duas Faces da Lei (Righteous Kill) – EUA, 2008
Dói colocar um filme protagonizado por Al Pacino e Robert De Niro em uma lista de piores, mas não tem como evitar. Os dois veteranos ainda são o que As Duas Faces da Lei oferece de melhor. O resto é uma série de clichês comandada por Jon Avnet a partir de um roteiro que se julga inteligente, mas é mais previsível do que o resultado das eleições venezuelanas. Uma mancha na carreira de Pacino e De Niro.

6) Awake - A Vida por um Fio ­(Awake) – EUA, 2007
Ainda que parta de uma premissa interessante, a idéia central não tem importância qualquer para a narrativa, soando totalmente descartável. O diretor Joby Harold até tenta achar uma função para ela, mas cria momentos ainda mais dispensáveis com o protagonista em uma espécie de limbo. Para piorar, Hayden Christensen e Jessica Alba são atores fracos, que não conseguem carregar o filme.

5) Jumper – EUA, 2008
Mais uma idéia promissora jogada pelo ralo. Jumper até inicia de forma bacana, com o protagonista aproveitando os poderes, mas se perde à medida que ele começa a ser perseguido por uma entidade ridícula. Como se não bastasse, Hayden Christensen novamente demonstra falta de talento, e sua química com Rachel Bilson é nula. A tentativa de criar uma série de sucesso ficou longe de dar certo.

4) Max Payne – EUA, 2008
Mesmo que o visual seja muito bem acabado, a história de Max Payne é um equívoco total, com personagens tomando atitudes sem sentido e um excesso de clichês que incomoda – inclusive aquele no qual o vilão conta todo o plano para o mocinho antes de falhar em matá-lo. Não há identificação entre personagens e platéia e a emoção é nula, além de subtramas completamente desnecessárias.

3) Fim dos Tempos (The Happening) – EUA, 2008
Se a carreira de M. Night Shyamalan já vinha em declínio, atingiu o fundo do poço com Fim dos Tempos. Uma história que beira o risível, com um final absurdamente ridículo, pontuado por cenas vergonhosas como a de Mark Wahlberg falando com uma planta. Os personagens são inconstantes e o clima de tensão é inexistente. Shyamalan só se salva por alguns momentos bem dirigidos, mas é pouco diante desse filme caótico e sem sentido.

2) Missão Babilônia (Babylon A.D.) – EUA/França, 2008
O que dizer de um filme que o próprio diretor rejeitou? O que ainda começa como uma ficção-científica promissora vai se tornando uma verdadeira bagunça sem qualquer lógica. Personagens sem personalidade, trama confusa e atuações vergonhosas tornam a experiência de assistir Missão Babilônia algo insuportável, culminando nos vinte minutos finais mais sem sentido do cinema em 2008.

1) Alien vs. Predador 2 – EUA, 2007
Não há muito o que dizer de Alien vs. Predador 2, porque isso não pode ser considerado um filme. O roteiro é inexistente e as cenas de ação incompreensíveis, realizadas no escuro e sem qualquer lógica. Soma-se a isso centenas de mortes de personagens sem graça, pelas quais agradecemos por não mais precisar ouvir os diálogos risíveis. Para piorar, joga toda a mitologia de ambas as séries no lixo.

--------------

Menções Desonrosas – Filmes que quase entraram na lista dos piores

O Som do Coração (August Rush) – EUA, 2007
Ensinando a Viver (The Martian Child) – EUA, 2007
Elizabeth: A Era de Ouro (Elizabeth: The Golden Age) – Alemanha/França/Reino Unido, 2007
O Olho do Mal (The Eye) – EUA, 2008
Um Amor de Tesouro (Fool’s Gold) – EUA, 2008
Jogos de Amor em Las Vegas (What Happens in Vegas) – EUA, 2008


--------------

Melhor Diretor

1) Paul Thomas Anderson (Sangue Negro)
2) Christopher Nolan (Batman – O Cavaleiro das Trevas)
3) John Carney (Apenas Uma Vez)
4) Andrew Stanton (Wall-E)
5) Joel e Ethan Coen (Onde os Fracos Não Têm Vez)

--------------

Pior Diretor

1) Colin Strause e Greg Strause (Alien vs. Predador 2)
2) John Moore (Max Payne)
3) Kristen Sheridan (Som do Coração)
4) Mathieu Kassovitz (Missão Babilônia)
5) Doug Liman (Jumper)

--------------

Melhor Ator

1) Daniel Day-Lewis (Sangue Negro)
2) Heath Ledger (Batman – O Cavaleiro das Trevas)
3) Javier Bardem (Onde os Fracos Não Têm Vez)
4) Robert Downey Jr. (Trovão Tropical)
5) Emile Hirsch (Na Natureza Selvagem)

--------------

Pior Ator

1) Mark Wahlberg (Fim dos Tempos)
2) Hayden Christensen (Jumper)
3) Steven Strait (10.000 a.C.)
4) Steven Pasquale (Alien vs Predador 2)
5) Vin Diesel (Missão Babilônia)

--------------

Melhor Atriz

1) Catherine Keener (Na Natureza Selvagem)
2) Belén Rueda (O Orfanato)
3) Manuela Velasco ([REC])
4) Ellen Page (Juno)
5) Penélope Cruz (Vicky Cristina Barcelona)

--------------

Pior Atriz

1) Jessica Alba (Awake – A Vida por um Fio)
2) Jessica Alba (O Olho do Mal)
3) Maria Bello (A Múmia: Tumba do Dragão Imperador)
4) Reyko Aylesworth (Alien vs. Predador 2)
5) Keri Russell (O Som do Coração)

--------------

Melhor Roteiro

1) Paul Thomas Anderson (Sangue Negro)
2) Joel e Ethan Cohen (Onde os Fracos Não Têm Vez)
3) Sergio G. Sánchez (O Orfanato)
4) Christopher Nolan, Jonathan Nolan e David Goyer (Batman – O Cavaleiro das Trevas)
5) Diablo Cody (Juno)
6) Christopher Hampton (Desejo e Reparação)

--------------

Pior Roteiro

1) M. Night Shyamalan (Fim dos Tempos)
2) Shane Salerno (Alien vs. Predador 2)
3) Mathieu Kassovitz, Joseph Simas e Eric Besnard (Missão Babilônia)
4) Shawn Ryan e Beau Thorne (Max Payne)
5) Roland Emmerich e Harald Kloser (10.000 a.C.)

--------------

Melhor Cena

1) Coringa explodindo o hospital (Batman – O Cavaleiro das Trevas)
2) Wall-E e Eve se reencontrando ao final (Wall-E)
3) Esconde-esconde (O Orfanato)
4) Personagens no apartamento do último andar ([REC])
5) Plano-seqüência com as tropas na praia (Desejo e Reparação)

--------------

Melhor Final

1) O Nevoeiro (The Mist) – EUA, 2007
2) O Orfanato
3) Apenas Uma Vez

--------------

Pior Final

1) Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (Indiana Jones and the Kingdom of the Crystall Skull) – EUA, 2008
2) Fim dos Tempos
3) Missão Babilônia

--------------

Troféu “Só Eu Gostei?”

Speed Racer – EUA, 2008
Divertido, empolgante e criativo, o novo filme dos Wachowski é tudo aquilo que se espera de um filme-pipoca. Tudo bem que o visual é exagerado, mas não cansa em momento algum, até porque a história dos personagens é interessante o suficiente – apesar de óbvia. Cada segundo exala a absurda originalidade dos cineastas e as cenas mais movimentadas deixam o espectador grudado na cadeira. Merece outra chance.

--------------

Troféu “Não É Pra Tanto”

Antes de Partir (The Bucket List) – EUA, 2008
Tire Jack Nicholson e Morgan Freeman de cena e nada mais resta a Antes de Partir. Este filme adorado por boa parte do público é uma imensa decepção, com um roteiro que não se decide entre a comédia e o drama. Para piorar, as viagens dos protagonistas são mal aproveitadas e as piadas se repetem sem o menor pudor. Vale somente pela dupla de astros e nada mais.

--------------

Troféu “Esperei Tanto pra Isso?”

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
A aguardada nova aventura do arqueólogo mais famoso no cinema não chega a ser um filme ruim, mas é, sem dúvida, decepcionante. A magia presente na trilogia original surge apenas em momentos escassos, que fazem valer a pena uma assistida. Mas Spielberg e Lucas exageraram nos absurdos, como o personagem de Shia Labeouf dando uma de Tarzan ou formigas brincando de pirâmide. Sem contar o incompreensível final, que joga o pouco que tinha dado certo por água abaixo.

--------------

Troféu “Melhor que a Encomenda”

Homem de Ferro (Iron Man) – EUA, 2008
O trabalho de Jon Favreau possui diversas qualidades que fizeram de Homem de Ferro mais do que um simples filme de super-heróis. A principal delas é que o diretor tornou a história crível, muito graças ao desenvolvimento do protagonista e à performance de Robert Downey Jr. A produção desliza de vez em quando nos clichês do gênero, mas é uma obra com muito a oferecer e uma boa partida para a série.

--------------

Troféu “Bem-Vindo de Volta”

Guy Ritchie, por Rocknrolla – A Grande Roubada (Rocknrolla) - Inglaterra, 2008
Depois de duas bombas monumentais (Destino Insólito e Revólver), Ritchie voltou à forma que o consagrou com essa divertida e engenhosa história aos moldes de seus primeiros filmes, Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch. Ainda que não esteja no nível destes, Rocknrolla possui bons personagens, diálogos e um enredo bem amarrado, além das brincadeiras visuais de Ritchie. Mostrou que dá pra voltar a confiar no trabalho do cara.

--------------

Troféu “Me Empresta um Lenço?”

Marley e Eu
Baseado no livro de sucesso, Marley e Eu é uma ótima surpresa de final de ano. Ao invés de tornar o cão o principal apelo do filme, o diretor Scott Frankel prefere contar a história da família dos donos e seus problemas, posicionando Marley como apenas mais um deles. A abordagem gera identificação entre personagens e platéia e culmina no mar de lágrimas ao final. Não é original e tem seus clichês, mas é honesto e realmente emocionante.

--------------

Troféu “Musa do Ano”

Isla Fisher, em Três Vezes Amor (Definitely, Maybe) - EUA, 2007
O filme pode ser uma comédia romântica sem grandes novidades, mas é difícil não ficar fascinado com a presença de Isla Fisher. A atriz, que surgiu com destaque em Penetras Bons de Bico, está apaixonante no papel de uma das namoradas do protagonista. Linda, carismática e talentosa, Fisher possui incrível presença em cena e é por ela que o espectador torce no final. Sem dúvida, uma estrela que está nascendo.

--------------

Troféu “Valeu Pela Tentativa”

Não Estou Lá (I’m Not There) – EUA, 2007
Diante da mesmice que se tornaram as cinebiografias recentes, é bom ver uma abordagem original como a do diretor Todd Haynes para a vida de Bob Dylan. Ao contar a história do músico através de histórias e intérpretes diferentes, o cineasta construiu um filme interessante e bastante criativo. A produção, porém, é bastante arrastada e por vezes fica difícil de acompanham, mas Haynes merece elogios pela visão e ousadia.

5 Comments:

Blogger Andy Malafaya said...

Ouso concordar com quase tudo o que foi dito! hehe

DO seu top 10, não gosto de O Caçador de Pipas, e Desejo e Reparação não acho para tanto.

Do bottom 10, concordo plenamente, ainda que eu não tenha visto alguns. Mas chego lá, pq trasheira é comigo.

A Zooey Deschanel é a pior atriz do ano! Bate a Alba de looonge! Medo dela!

Acho o plano sequencia de Desejo e Reparação suuuper desnecessário!

Eu gostei de Speed Racer! A Geo tb! Não foi só vc! :)

Vc realmente viu Revolver? Achei que ninguém na face da terra tinha visto isso. Mas eu quero ver!

Não me emocionei com Marley e Eu...

E Isla Fisher realmente tá encantadora no filme. Tô louco pra conferir os proximos projetos da moça.

Abração, Pilau!

6:11 PM  
Anonymous Caio Lucas said...

Do seu top 10, não gosto de O Caçador de Pipas, e Desejo e Reparação não acho para tanto. [2]

Já o troféu "valeu a tentativa"... oh, como valeu!

Dos europeus eu citaria "Traição em Hong Kong" e "Questão Humana", que não são top 10, mas top 5 de 2008.

E não, ele não pode ter visto "Revólver" (top 10 do ano pra mim). Acho que vimos filmes diferentes!

Abraço!

5:35 AM  
Blogger IF said...

concordo com exatamente tudo no top 10..(menos os tres ultimos filmes que ainda não vi)...a parece que tu gostou ms de sangue-negro né Pilau?...(eu adorei,o melhor msm)

do MENSÕES HONROSAS só não concordo com Juno que não achei grande coisa...de resto eu destacaria BLINDNESS e HELLBOY juunto com TROPIC TUNDER que são maravilhosos...

não vi muitos do button ,mas concordo com o que vi....

a lista de diretores ficou perfeita;;

as outras tb,...é melhor eu para pq se não vou escrever d+..rsrs

5:31 PM  
Anonymous Anonymous said...

barack masjid tasked employ partial breach parkway ridden nametags pallet hendrix
semelokertes marchimundui

8:26 PM  
Anonymous Anonymous said...

[url=http://www.celebxray.com/rachel_bilson.html]Rachel Bilson Naked[/url]

8:01 PM  

Post a Comment

<< Home