Viagem Literária

Apenas uma maneira de despejar em algum lugar todas aquelas palavras que teimam em continuar saindo de mim diariamente.

Name:
Location: Porto Alegre, RS, Brazil

Um gaúcho pacato, bem-humorado e que curte escrever algumas bobagens e algumas coisas sérias de vez em quando. Devorador voraz de livros e cinéfilo assumido. O resto não interessa, ao menos por enquanto.

Wednesday, June 21, 2006

As Águias e o Fenômeno




Este texto é sobre futebol. Mas acho que a melhor forma de iniciá-lo é contando uma curiosidade sobre as águias. Estas aves são alguns dos animais mais longevos da natureza, podendo exibir seus belos vôos até os 70 anos. Para isso, no entanto, as águias passam por uma provação. Pela metade da sua vida, elas realizam um sacrifício para viverem mais algumas décadas.

Consiste em ir até uma montanha bem alta e bater com seu bico nas pedras até quebrá-lo, livrando-se, assim, daquele já envelhecido. Em seguida, esperam o novo bico nascer para depois arrancar as unhas. Após o nascimento das novas unhas, elas retiram as penas. Somente depois de 150 dias, aproximadamente, com bico, unhas e penas novas, elas voltam aos céus. Renovadas.

Por que estou falando em águias em um texto, como já disse, sobre futebol? Porque acredito que seja um ótimo ponto de partida para falar sobre o momento de um dos maiores jogadores que este planeta já viu: Ronaldo Luís Nazário de Lima. Para alguns, o Fenômeno. Para outros, o Gordo.

Ronaldo está em má fase, sim. Esta é uma verdade indiscutível. A atuação do camisa nove da seleção brasileira contra a Croácia pode ter sido uma das piores de toda a sua carreira. Mas Ronaldo merece ser tratado da forma como está sendo tratado? Não apenas pela imprensa e torcida brasileira, mas mundial? Acho que o Fenômeno merece mais do que isso.

Quantos jogadores foram campeões mundiais aos 17 anos? Quantos foram eleitos 3 vezes como o melhor do mundo? Deixaram marcas e lances incríveis em todos – e repito, todos – os times que defenderam? Carregaram uma equipe nas costas na Copa do Mundo? Tornaram-se sinônimo de futebol em todo o planeta? Quantos jogadores têm seu nome na lista dos maiores que já tocaram numa bola?

"Isso é passado", dizem. Besteira. Escrevo este texto um dia antes do Brasil enfrentar o Japão. Afirmei antes da Copa que Ronaldo seria um dos destaques do torneio, calando a boca de todo mundo da mesma forma que fez em 2002. Talvez eu tenha exagerado, mas acredito que ele ainda vai fazer muito pela seleção nos cinco jogos restantes.

Digo isso porque não é a primeira vez que Ronaldo sofre com críticas. O exemplo mais claro e óbvio é o de quatro anos atrás, na Copa da Coréia e Japão. Todo mundo sabe o que aconteceu: após mais uma cirurgia no joelho, foi decretado o fim da sua carreira futebolística. Resultado? Oito gols, inclusive os dois da final que permitiram Cafu declarar seu amor pela mulher na frente de bilhões de pessoas.

Convenhamos, isso não é para qualquer um. A superação, a força de vontade e, acima de tudo, a confiança que o Fenômeno demonstrou em si mesmo, em meio à todas as críticas, não são encontrados em qualquer ser humano. Ronaldo demonstrou ali que é um vencedor. Mostrou ao mundo inteiro ser mais do que um grande jogador. Mostrou ser um grande homem. Mostrou ser o Fenômeno.

Agora eu volto à história da águia lá em cima. O animal que precisou passar por sacrifícios para novamente reinar. As semelhanças são óbvias. Ronaldo está passando pela sua segunda provação. E, sinceramente, acredito que ele vai sair dessa como sempre: sem falar demais, sem reclamar, sem criticar ninguém. Como fazem os grandes.

Ronaldo vai sair dessa apenas jogando futebol. Fazendo gols. E vai fazer cada um que já falou alguma coisa sobre sua condição, cada um que já pediu sua saída, soltar um grito que está trancado no peito. Não um grito de gol e nem um grito de campeão. Mas um grito de alívio, de satisfação ao ver as redes balançadas novamente por um dos maiores de todos os tempos.

E não tem problema que a águia passe pela renovação apenas uma vez na vida e Ronaldo esteja em sua segunda. Uma águia é apenas uma águia. Ronaldo não é apenas Ronaldo.
Ou alguma águia já foi chamada de Fenômeno?

1 Comments:

Anonymous Silveira said...

Radicalmente contra. É indiscutível a qualidade de Ronaldo ao longo de sua - já grandinha - estadia no topo do mundo. Mas também é indiscutível que urubu que não bica perde a carniça. Com Adriano, Ronaldinho e Kaká e o time precisando de um meio de campo mais consistente, tira o Ronaldo, que está passando por uma fase ruim (dizer que não é ofender o cara), e bota o dito pivô no meio-campo. Avança o Kaká que ele ainda melhora! Isso é bom pro time em joguinhos como Croácia, Austrália e Japão e ainda é bom pro Ronaldo que descansa a cabeça, exercita o corpo e, não como uma águia, mas como um fênix, volta triunfante quando estiver refeito das cinzas que, agora, amontoam-se por onde passa. A verdade é que no meio deste monte de bichos voadores, sobra o viado medroso do Parreira. Abraço!

12:39 AM  

Post a Comment

<< Home