Viagem Literária

Apenas uma maneira de despejar em algum lugar todas aquelas palavras que teimam em continuar saindo de mim diariamente.

Name:
Location: Porto Alegre, RS, Brazil

Um gaúcho pacato, bem-humorado e que curte escrever algumas bobagens e algumas coisas sérias de vez em quando. Devorador voraz de livros e cinéfilo assumido. O resto não interessa, ao menos por enquanto.

Monday, March 30, 2009

Patriotismo Tricolor

Então eu assisti ontem ao jogo da seleção. Sem muito ânimo, ainda de ressaca da noite anterior. Parei à frente da TV mais por inércia, porque final de semana sem futebol na telinha não dá. E o que vi foi uma das coisas mais pavorosas dos últimos tempos. Vergonhoso. A equipe formada por Dunga exalava apatia por todos os poros. Altitude? Aceito que ela colabore para prejudicar a apresentação de um atleta, mas nada justifica o fiasco feito ontem pelos jogadores. Ronaldinho parece jogar por obrigação, Robinho continua se achando sem apresentar nada e Felipe Melo na seleção? Tá bom...

Ninguém questiona o fato de que o resultado foi uma das maiores injustiças futebolísticas dos últimos anos. Júlio César encarnou nossa barreira chamada Victor e pegou tudo. Ou melhor, quase tudo, porque no gol equatoriano ele não tinha muito o que fazer. E os jogadores do Equador pareciam querer imitar o ataque gremista, pressionando, criando chances e não conseguindo fazer a pelota repousar nas redes. Foi, a exemplo do que escrevi após Grêmio e Universidad, uma chacina sem vítimas. Um verdadeiro massacre equatoriano em cima dos apavorados canarinhos.

Mas estou me enrolando. Esse é um espaço sobre o Grêmio, não para comentar a seleção brasileira. Fiz essa abertura falando sobre o jogo de ontem porque me dei conta de algo em meio à partida. Na verdade, sempre soube disso, mas ontem ficou mais claro. O que estou querendo dizer para vocês é que simplesmente não existe comparação entre os sentimentos que temos pela seleção e os que temos pelo clube de nosso coração.

Tudo bem que falo por mim. Isso é como eu sinto e não posso afirmar que esses meus sentimentos sejam os mesmos para outras pessoas. Mas, sinceramente, não dou a menor bola para o que acontece com a seleção. Em época de Copa do Mundo, torço para o Brasil. Não com o entusiasmo do Galvão Bueno e de 97% dos brasileiros, mas torço, sim, para que a nossa seleção tenha um bom desempenho e vença. No entanto, é só. Em tudo o mais, o que acontece com a seleção brasileira de futebol é completamente indiferente para mim.

Tomemos a partida de ontem como exemplo. Não fiquei bravo, raivoso ou indignado com a apresentação. Fiquei com vergonha, claro. Sou brasileiro, afinal de contas. Mas só. Quando o Grêmio perde – ou tem uma atuação como a do Brasil ontem -, fico mal após a partida. Tenho a sensação de alguém importante para mim, como um parente ou amigo, passa por um sério problema. A indignação por não poder fazer nada cresce e a raiva de ver a minha mística camisa representada de maneira pífia domina o corpo. Tenho certeza de que o mesmo acontece com todos vocês.

E nada disso aconteceu ontem. Após o apito final do árbitro, apenas indiferença. Por quê? Simplesmente porque a seleção brasileira não é meu time. Não é o distintivo da CBF que faz parte da minha vida desde criança. Meu patriotismo, no futebol, não é verde e amarelo. É azul, preto e branco. Meu país é o Olímpico. Meus conterrâneos são os gremistas. Minha História é a História de Lara, de Foguinho, de Alcindo, de Tarciso. Meus heróis são Baltazar, Renato, Jardel, Felipão.

Essa é a minha nação. Esse é meu orgulho. Não um grupo de jogadores deslumbrados que se reúnem para tocar pagode e dizerem que representam um país. Minha paixão vai para uma camisa listrada em três cores, vestida por homens de fibra e honra capazes de compreender tudo o que ela significa. Os meus sentimentos – de raiva, de felicidade, de indignação ou da mais pura paixão – vão para esse clube capaz de gerar tanto ódio dos outros quanto acumular glórias e faixas no peito. Essa é a minha identidade. Essa é a minha cultura.

Antes e mais do que brasileiro, sou, acima de tudo, gremista.

-----------

Texto publicado hoje no site www.finalsports.com.br.

4 Comments:

Blogger Fala garoto, fala garota. said...

Esta frase podia ser minha: "o que acontece com a seleção brasileira de futebol é completamente indiferente para mim."
O que está sendo esta movimentação toda por causa desse jogo?!?
Será que estou ficando amarga demais?!
Bjo!

1:44 PM  
Anonymous Lucas said...

E esse é o sentimento!

5:18 AM  
Anonymous pree said...

eu amo o grêmio, mas o que tá acontecendoooo..me dizz?

4:34 PM  
Blogger Pree, Wonder Pree said...

e o aniver, mongo?

8:01 PM  

Post a Comment

<< Home