Viagem Literária

Apenas uma maneira de despejar em algum lugar todas aquelas palavras que teimam em continuar saindo de mim diariamente.

Name:
Location: Porto Alegre, RS, Brazil

Um gaúcho pacato, bem-humorado e que curte escrever algumas bobagens e algumas coisas sérias de vez em quando. Devorador voraz de livros e cinéfilo assumido. O resto não interessa, ao menos por enquanto.

Friday, February 22, 2008

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO


Conheço gente que não gosta de ficção-científica - livros e filmes - pelo simples fato de que as histórias se passam no futuro, com robozinhos e muita suposição sobre coisas que nem se sabe se vão existir. Tudo bem, opinião é para ser respeitada, mas tais idéias chegam a ser uma afronta às grandes obras e autores do gênero. A ficção-científica, ainda que boa parte dela seja resumida às historinhas sem graça sobre o futuro, tem uma capacidade muito alta de nos fazer pensar, especialmente quando cria um novo mundo como resultado do atual. É uma forma de crítica à sociedade na qual vivemos, pois mostra como as nossas atitudes de hoje podem ter conseqüência no futuro. Quando isto acontece, estamos diante de uma grande obra. É o caso de Admirável Mundo Novo, obra-prima de Aldous Huxley. Escrito em 1932, o livro apresenta um planeta no qual toda a forma de liberdade foi abolida em prol de um sistema que preza a estabilidade. As emoçoes, as paixões, as decepções, o sofrimento, tudo foi deixado de lado na sociedade de castas, onde cada pessoa nasce dentro de um grupo e é condicionada, desde a infância, a aceitar o seu papel e ser feliz desempenhando-o. A minha descrição é apenas superficial diante da magnífica visão de Huxley. Hoje, ainda mais do que na época em que foi escrito, Admirável Mundo Novo é uma obra atual, especialmente com os velozes avanços da ciência e da tecnologia. A quantidade de reflexões e perguntas propostas pelo autor perpassa os mais diferentes campos, levantando indagações sobre arte, ciência, amor, morte e religião, entre diversas outras. Em meio a tudo isto, está o cerne da questão, o embate liberdade x estabilidade. Vale a pena trocar a nossa vida livre, com todo o sofrimento e miséria, mas também com o amor e a felicidade, por uma existência sem preocupações, onde tudo está a mão, porém emocionalmente estéril? No mundo de Huxley, não há famílias, não há relacionamentos, não há desejo. Tudo é realizado em prol da sociedade, da civilização. A questão é clara e muitíssimo bem exposta pelo autor no surgimento de um personagem que sempre viveu à margem deste mundo, chamado no livro de Selvagem, e encontra seu ápice na discussão deste com o Administrador da civilização. Ali, de maneira impecável, ambos expõem seus pontos de vista eloqüentemente, em uma discussão que, mais do que respostas, coloca um ponto de interrogação na mente do leitor. Não é à toa que Admirável Mundo Novo é uma das grandes referências de todos os tempos, e não somente literária. Filmes, músicas e muitas outras obras já foram inspiradas ou tiveram clara influência do livro, desde canções do Iron Maiden a superproduções cinematográficas como Matrix. Admirável Mundo Novo é um grande livro, ainda mais importante hoje do que na época que foi lançado. Filosofia, romance, ficção-científica, tudo está presente na obra de Huxley. Clássico absoluto e com justiça.

2 Comments:

Blogger Felipe Leonardo said...

Uma obra literária bastante famosa, talvez a primeira que suscitou discussões sobre o perigo da falta de privacidade em prol da segurança.

Ótimo blog, Silvio. Gosto muito das suas críticas no CinePlayers e conheci sua página através do Blog dos Players.

Abraço,
Felipe Leonardo

5:12 PM  
Blogger Pree, Wonder Pree said...

xaudade

1:35 PM  

Post a Comment

<< Home