Viagem Literária

Apenas uma maneira de despejar em algum lugar todas aquelas palavras que teimam em continuar saindo de mim diariamente.

Name:
Location: Porto Alegre, RS, Brazil

Um gaúcho pacato, bem-humorado e que curte escrever algumas bobagens e algumas coisas sérias de vez em quando. Devorador voraz de livros e cinéfilo assumido. O resto não interessa, ao menos por enquanto.

Wednesday, April 12, 2006

O Imperador - Os Portões de Roma


Eu sempre gostei de História, mas existem dois assuntos que me fascinam mais do que qualquer outro em todos os já ocorridos neste planeta: Roma e Egito. Estas duas civilizações sempre me atraíram por toda a sua grandeza, esplendor e, claro, mistérios. Já li diversos livros a respeito, ficção e não-ficção, e as formas de se explorar o assunto parecem não se esgotar. A mais recente obra a chamar a atenção a esse respeito é a série O Imperador, escrita pelo britânico Conn Iggulden. A princípio, seria uma trilogia, mas pelo que ouvi acabou se transformando em quatro livros. Acabei de ler o primeiro, Os Portões de Roma, que conta a história dos primeiros anos de Júlio César. Muito da história é suposição e imaginação do autor, como ele próprio se apressa em justificar ao final do livro. Mas, ainda que a obra perca um pouco por essa falta de acuidade histórica, existem diversas outras qualidades para justificar o sucesso da série de Iggulden. Além da óbvia fascinação popular pelo tema, o autor consegue recriar com qualidade o mundo de Roma, revelando detalhes do dia-a-dia dos habitantes da cidade, desde os mais humildes (como era Júlio César quando criança) aos grandes nomes (como o tio do futuro imperador quando ele vai morar em Roma). Os personagens são bem desenvolvidos e conseguem transmitir ao leitor aquele sentimento de honra e grandiosidade que são características das tramas da época. Dentre eles, o meu favorito é Rênio, o ex-gladiador que se torna tutor de Júlio e Marco, que o autor revela ter sido completamente inventado. Mas há outras figuras interessantes e Iggulden acerta também na construção da personalidade de Júlio, revelando o surgimento do caráter daquele que seria um dos homens mais importantes de todos os tempos. Apesar destas qualidades, a trama de O Imperador – Os Portões de Roma acaba se tornando meio enrolada em certos momentos, com acontecimentos que poderiam facilmente ter sido limados sem maiores prejuízos, como a relação de Júlio com a escrava Alexandria. Mesmo assim, o livro é um bom início para uma série cuja história realmente vai engrenar nos próximos volumes. Uma boa pedida pra quem gosta de romances históricos.

3 Comments:

Anonymous Samir said...

Bom saber. Vou comprar o livro e gostei da indicação.
Adoro Bernard Cornwell e vi que ele assina a capa do livro deste compatriota dele, mas estava em dúvida se comprava o livro, ou não.

11:35 AM  
Blogger Ana Cláudia said...

gostei muito..tem muita velocidade..e alguns momentos muito emocionantes..melhor ainda eh o segundo qndo caio c torna cesar..lindo lindo..nao vejo a hr de começar o terceiro!!

4:11 PM  
Anonymous Anonymous said...

Realmente é um livro bom, nos deixando com ódio do cinismo de Sila e encantados pela simplicidade de Cabera. Mas, querida Ana Cláudia, não conte o que acontece futuramente, isso tira toda nossa vontade de ler. Nunca ouviu falar em 'não conte o final do filme'? Vale o mesmo para os livros! E, tenho de concordar com o Silvio, algumas passagens são até desnecessárias. Mas vale muito a pena ler. Abraços!

12:49 PM  

Post a Comment

<< Home